20.3.08

Pós-Graduação em Lavras

Vista parcial da cidade de Lavras
Por estar trabalhando no Laboratório Digital Navegando para o Futuro na E.M.Enedina Prata em minha cidade, resolvi no ano passado fazer pós-graduação na área de Informática na Educação.
Contactei com a UFLA- Universidade Federal de Lavras e inscrevi-me para o referido curso. Poucos dias após começaram a chegar apostilas para serem estudadas. É um vasto material que fui lendo, fazendo anotações, buscando outras fontes de pesquisa e tentando aprender as novidades e reflexões dentro de assuntos como: Educação a Distância, o uso da informática como ferramenta de trabalho na educação, a rejeição dos professores a esta nova ferramenta, algumas propostas de trabalho de educadores e outras questões também importantes enfocando a Informática na Educação.
Os meses passaram e chegou o momento de nosso primeiro encontro presencial. Isso se deu dos dias 4 a 8 de março.
7:30 da manhã, a turma chegando, todos meio tímidos. Sem muita conversa fomos conduzidos a uma sala de aula onde estava um professor magro, de boa altura, sério, nenhum sorriso, chamado André Luiz Zambalde que trabalharia conosco: Introdução à Informática Educativa e Computador Ferramenta.
Ele se apresentou, explicou como gosta de trabalhar e aos poucos foi assustando toda a turma com suas técnicas nada modernas de atuar na educação. É um professor terrorista. Ficamos todos espantados e desde já preocupados com sua prova que seria na quinta-feira.
Em nenhum momento ele se preocupou em permitir que a turma se apresentasse. Ficamos juntos o primeiro dia tendo que ficar nos procurando nos horários de intervalo para tentar descobrir quem era quem, porque alguns de nós já nos conhecíamos por e-mails.
Incomoda-me profundamente como o meio universitário é sisudo por trás de uma faixada de intelectualismo que embebe-se de uma pretensa superioridade. Embora adultos nós somos estudantes, gente que pensa e sonha, profissionais da educação ou não numa cidade estranha, gente que se emociona, é alegre e que adoraria lá chegar e encontrar um ambiente acolhedor, envolvente para iniciarmos nossas atividades. Mas André Zambalde assim como muitos educadores neste país ainda não acordou para a necessidade de criarmos uma escola mais fraterna e amiga para atuarmos e instigarmos os educandos a ampliarem seus conhecimentos sob nossa inspiração.
Um professor(a) tem que cativar o educando para que este realize seu processo educativo e o mesmo vale para quando o estudo seja buscando apenas a instrução. Aprender com amor é infinitamente mais prazeroso e produz grandes resultados, já aprender com o medo não nos torna melhores e ainda pode conduzir a um abandono aos objetivos inicias.

É imensa a responsabilidade de um professor, seja ele de ensino fundamental, médio ou universitário. Pensemos nisso.

10 comentários:

Wendell disse...

Concordo com você. Tive uma experiência parecida em minha passagem pela Universidade Estadual de Goiás. Passei por um problema que me impedia de assistir algumas aulas de uma professora. Fui até ela e expliquei o problema e pedi ajuda com relação as faltas. Ela respondeu que o problema era meu e que se abrisse uma excessão para min, teria que fazer o mesmo com todos os outros alunos. Resultado, fui reprovado na matéria desta professora por falta. O mesmo problema me impedia de assistir algumas aulas de outro professor, mas ele ao contrário da outra professora, compreendeu meu problema e abonou minhas faltas. Estudei em casa e consegui fazer as avaliações. Resultado, fui aprovado.

Maisa Fernandes disse...

Oi Wendel que bom receber sua visita e apresentando sua experiência. Não desistamos e façamos nosso trabalho da forma mais fraterna e envolvente possível, estamos num caminho de progresso e jamais de retrocesso.
Nos encontramos no grupo yahoo.
Um abraço.

Maisa Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Professor André Zambalde disse...

Ola Maisa,

Gostei do Blog. Só de você, como brasileira e educadora, apresentar este espírito combativo e defensor de idéias, relacionado ao seu encontro presencial em Lavras, esta otimo. Precisamos de mais pessoas com este espírito e que busquem uma forma de implementa-lo em nosso País, com os nossos jovens. Pena que você não tenha gostado do modo direto, exato e exigente de minhas cobranças. Eu acredito que precisamos de cobranças de resultados - de metas, de trabalhos realizados. As formas de se fazer isto é que podem variar, cada um tem o seu modo, alguns sem tecnicas modernas (o que parece ser o meu caso), outros com técnicas modernas. O que não podemos perder de vista é o resultado. No caso de informática ferramenta é conhecer, refletir e saber fazer, independente da ferramenta. Bom trabalho e que seus alunos saibam fazer e estejam preparados para o mercado atual, predador, concorrido e implacavél. Afinal,como você mesmo diz, é imensa a responsabilidade de um professor. Principalmente do professor universitário, que busca formar um pós-graduado em Informática Educativa. Um abraco.

Maísa disse...

Oi Professor Zambalde, que bom receber sua visita. Quando acredito numa idéia defendo sim. E o que defendo não é somente modernidade no processo educativo, mas principalmente uma educação orientada e compartilhada na afetividade e no companheirismo, porque justamente na família e na escola é que poderemos trabalhar conceitos mais saudáveis de vida que poderão mudar essa sociedade brutal da qual estamos fazendo parte e que foi construção nossa.
Um abraço pra você.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luísa Módena disse...

Olá, Maísa! Boa tarde!
Meu nome é Luísa e descobri o seu blog procurando sites sobre educação e espiritualidade. Estou participando da divulgação do 1º Congresso Internacional de Educação e Espiritualidade, que acontecerá em setembro, na cidade de São Paulo-SP. Gostaria de saber se você poderia nos auxiliar com a divulgação por meio do seu blog. Se puder, por favor, entre em contato comigo para conversarmos (luisamodena@yahoo.com.br).Obrigada desde já!
Abraços!

Maisa disse...

Claro que sim Luiza. Farei contato com você breve.
Um abraço,
Maisa.

Marli Carmen disse...

Bom dia! Bom domingo!! Acesse ao blog para conhecer o resultado! Hoje é dia de sorteio!
Beijinhos

Agnaldo Tavares disse...

É o que carece em nossa educação, este fazer educação respeirando o outro com sua capacidade intelectiva, sem se vangloriar das coisas que a mente absorvel nas universidades formais. Belos escritos, moça. Um forte abraço.