21.2.08

Trote nas universidades

O Ser humano que é um conjunto de Espírito e matéria, é uma criatura que desde os tempos primitivos descobriu que para sobreviver é necessário estar em grupo, executando ações que conduzirão ao sucesso. O caminho tem sido longo nessa aprendizagem e as opções feitas tem determinado as experiências vividas.

Foi assim na organização da família, que passou por várias etapas até chegar ao modelo vivido atualmente. Tem sido na política que de formas variadas vem administrando "a polis", conduzindo os caminhos daqueles a ela subordinada.

Em todo o planeta observamos diversidade de pensamentos e atitudes gerando estilos de vida variados. Em tudo percebemos um amadurecimento psicológico no decorrer da história da humanidade, que tem gerado avanços tecnológicos, científicos, educacionais, legais e sobretudo o aprimoramento ético-moral do ser humano. E mesmo assim deparamos com uma série de ações humanas altamente desequilibradas e muito perto da barbárie, isso porque estamos em processo evolutivo e nossa história humana ainda é curta, em fase infantil.

Exemplificando isso temos todos os anos, as agressões físicas e morais que jovens universitários imputam aos calouros, ou iniciantes.

Márcio Marques da Silva de 24 anos, é mais um que foi submetido a essa situação primitiva na universidade. http://http//g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL307100-5605,00-CALOURO+DIZ+TER+SIDO+AGREDIDO+DENTRO+DE+SALA+DE+AULA+DURANTE+TROTE.html

Como solucionar esse problema social? O sistema educacional também é responsável por isso?

Vejo a admissão de um jovem na universidade através dos vestibulares, como um ato de iniciação primitiva, tão bárbaro quanto os executados por tribos indígenas aos mais jovens para ingressarem com respeito no mundo adulto.

Nosso jovem é massacrado pelo sistema que não é capaz de atender a demanda dos interessados em lá estarem; para tal fecham-lhe as portas através de provas altamente técnicas que não comprovam o nível de conhecimento dos estudantes, além de criarem o lucrativo comércio das escolas particulares e cursos pré-vestibulares que prometem preparar os estudantes para entrar na universidade.

Como em maioria somos espíritos infantis, sem valores éticos-morais definidos, a VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA. Por quê a demora em lutar para desenvolver em nós o Amor e a Fraternidade? Numa sociedade solidária, com certeza esses absurdos não aconteceriam.

Ao Sistema Educacional em todos os níveis, compete reestruturar moralmente a escola, incluir nos programas educacionais ações que venham a desenvolver valores em nossas crianças e jovens; valores espirituais que possam auxiliá-los a serem seres de bem na sociedade. Dar fim ao lucro financeiro através da derrota de vários e fazer da escola - 1º, 2º e 3º graus, um espaço que possibilite realizações na sociedade terrena.

A escola, assim como nós também está em processo evolutivo, eu e outros profissionais da educação trabalhamos para isso. Tenho esperanças.

"SÓ HÁ PROGRESSO ONDE EXISTE ESPERANÇA."

(Steven Spielberg)

Um comentário:

Ana Paula Fernandes de Mendonça disse...

Maisa,

Concordo com voce na exposição dos fatos quer seja com relaçao ao desvalido processo do vestibular e até mesmo à barbárie social que vemos através dos trotes. Acredito que estamos caminhando rumo ao entendimento destas atrocidades. Tudo indica que estamos evoluindo e, que tais atitudes e seus resultados serão banidos de nossa convivencia. Dessa forma devemos quebrar o silencio de anos e lutar!